JOVEM PROMESSA: KEVIN AKPOGUMA

JOVEM PROMESSA: KEVIN AKPOGUMA

Na seleção alemã, Akpoguma, ainda não conseguiu convencer o selecionador Joachim Low, porém, já representa a seleção germânica desde os sub-16, sendo vice-campeonato do Euro sub-17 de 2012 e tendo conquistado o Euro sub-19 de 2014.

JOVEM PROMESSA: Pedro Nuno

JOVEM PROMESSA: Pedro Nuno

«É incompreensível como um jovem desta qualidade não tenha sido aposta numa equipa que andou toda a época à procura de equilíbrio e de opções sérias atacantes. Gosto de chamar a Pedro Nuno: “O perfume da Briosa”, pois foi dos poucos que conseguiu ganhar o carinho e confiança dos adeptos numa época desastrosa.»

JOVEM PROMESSA: KAPUSTKA

JOVEM PROMESSA: KAPUSTKA

«Um talento sério! Um atleta muito dinâmico, habilidoso com os dois pés, inteligente, com uma veia bastante criativa e uma boa visão de jogo. Todos os ingredientes necessários para chegar ao topo do futebol e já correm rumores que clubes como o Southampton estão interessados em contratar o jovem polaco!»

JOVEM PROMESSA: NÉLSON SEMEDO

JOVEM PROMESSA: NÉLSON SEMEDO

«O jovem de 21 anos tem características que se assemelham ao internacional uruguaio, e essas características podem levar a melhor sobre André Almeida. Velocidade, garra, força, movimentos ofensivos, técnica, recuperação (não dá uma bola por perdida), marcação são as qualidades que mais se sobressaem neste diamante da “cantera” benfiquista.»

JOVEM PROMESSA: DABBUR

JOVEM PROMESSA: DABBUR

«Onde registou 18 golos e 9 assistências em 40 jogos. Graças às boas exibições existiram rumores da sua saída, neste mercado de transferências que acabou no final de agosto, para o Palermo, Eskisehirspor e Hamburgo.»

JOVEM PROMESSA: HALLER

JOVEM PROMESSA: HALLER

«Em termos de seleção francesa, Sébastien Haller nunca se estreou na equipa principal, por culpa da muito forte concorrência (Benzema, Lacazette, Giroud, Löic Remy, …) mas jogou várias vezes pelos escalões jovens, tendo 41 jogos e 18 golos.»

JOVEM PROMESSA: BENTANCUR

JOVEM PROMESSA: BENTANCUR

«Com uma visão de jogo e técnica invulgares num jovem desta idade, Bentancur atua preferencialmente no centro no terreno, podendo ainda jogar na posição ’10’, onde põe todas as suas qualidades em prática.»

JOVEM PROMESSA: MATHEUS PEREIRA

JOVEM PROMESSA: MATHEUS PEREIRA

«O brasileiro apresenta uma qualidade técnica invejável aliada a uma qualidade de passe quer curta ou longa que fica na retina de qualquer adepto, drible, visão de jogo e uma boa finalização mesmo em lances de bola parada compõem o ADN deste atleta.»

JOVEM PROMESSA: STANCIU

JOVEM PROMESSA: STANCIU

«Na época 2013/14 mudou-se para o Steaua Bucuresti, clube que ainda representa, contando com mais de 100 jogos, 20 golos e 14 assistências. Foi nos “The Speedsters” que se sagrou por duas vezes campeão romeno e ainda venceu a Supertaça e Taça da Liga. »

JOVEM PROMESSA: SVIATCHENKO

JOVEM PROMESSA: SVIATCHENKO

« Em 2005, apenas com 13 anos integrou a equipa A de juniores do Midtjylland, clube que ainda representa. Tem sido notável a evolução deste dinamarquês ao serviço do FC Midtjylland, apenas com 17 anos estreou-se na equipa principal, na época a seguir à sua estreia realizou 13 jogos em 33 possíveis.»

JOVEM PROMESSA: AREOLA

JOVEM PROMESSA: AREOLA

«Apesar de já ter sido convocado para a seleção principal francesa ainda não teve a sua estreia. Nas seleções mais jovens foi sempre titular indiscutível e até venceu o Mundial sub20. Na final foi determinante ao defender duas penalidades.»

JOVEM PROMESSA: MUSONDA

JOVEM PROMESSA: MUSONDA

«Musonda com apenas dezoito anos, é um diamante em bruto pronto a ser lapidado, jogador capaz de aliar controlo de bola e criatividade, velocidade e técnica, um passe a uma postura forte fisicamente em campo facilitando-lhe por isso possuir um centro de gravidade baixo.»

JOVEM PROMESSA: RUI PEDRO

JOVEM PROMESSA: RUI PEDRO

«Um pouco à imagem de Gonçalo Paciência e André Silva, Rui Pedro é um avançado tecnicamente evoluído, que se movimenta bem fora da área, à procura de combinações com os médios, e também capaz de aparecer pelos flancos, inclusivamente a criar desequilíbrios nos duelos individuais.»